Wednesday, November 26, 2008

As minhas pinturas - o que ando a fazer

Ando atarefada a fazer telas já que acabo o curso daqui a duas semanas e meia e pintura é já para a semana. Tenho andado a pintar estes trabalhos desde há uns meses para cá, todos em acrílico sobre tela. Estes são os que estão quase acabados.

Esta tela, começada no princípio do ano (paro durante uns meses devido a outros trabalhos), foi a primeira em que utilizei tinta-da-china sobre acrílico para ver se o preto ficava totalmente opaco, já que dou grande importância à linha nestas pinturas e usando o preto acrílico o traço preto, por ter que se mistura com água, não fica intenso passando só uma vez o pincel, obrigando a ter que passar de novo e assim perdendo alguma espontaneidade. Quem já experimentou sabe que se se utilizar de novo acrílico por cima a tinta-da-china, esta desfaz-se, mas deixei algumas partes ainda com esta tinta depois de ter começado a usar o acrílico de novo. Já ouvi dizer que se faz bons efeitos com tintas que por vezes não se juntam como o efeito craclet usando óleo e acrílico, tenho que experimentar assim que tiver tempo pois às vezes pode trazer boas ideias mais tarde.
Trata-se também de telas grandes, esta tem cerca de 1,60m por 1,60m e, para o traço ser tão livre e espontâneo como num desenho de pequenas dimensões, uso sempre o pincel atado a uma espécie de cana, dando assim espaço para a pintar de longe nunca perdendo o sentido geral da tela. Este modo de desenhar foi pela primeira vez (dizem), experimentado e desenvolvido por Matisse, como se pode ver nesta foto. Desde que soube dele nas aulas de desenho, que o tenho usado bastantes vezes.


Estas duas telas já foram mais experiências que outra coisa. Usei fundos escuros pela primeira vez, aclareando ou escurecendo sempre que necessário. O tamanho é sensivelmente mais pequeno (cerca de 1m por 1,25m), mas mesmo assim utilizei a cana para desenhar. A diferença de traço usando esta técnica é mesmo muito diferente.




Como o tempo começou a tornar-se mais curto, comecei a fazer estas telas cuja ideia veio no desenvolvimento que estava a ter na técnica da serigrafia. Mais tarde, usei esta mesma pintura como base para uma serigrafia, como se pode ver no no post anterior. Esta tem cerca de 1,70m por 1,60m.

5 comments:

claras manhãs said...

Olá Catarina

Lindas as telas, gosto mesmo.
Agora aqui vão duas perguntas:
- Explica lá a mania (de todos) pelas grandes telas.
Porque não pequenos ou médios formatos?
Dá mais trabalho?
- Explica lá, se tiveres pachorra, a, também, mania de deixarem a tinta a pingar. Qual é o objectivo?
E não fiques a pensar: DASSS!
Já estou habituada a que os pintores olhem assim para mim, quando lhes faço esta pergunta, mas nunca respondem, há sempre alguém que junto deles, começa a dissertar.

beijinho

CatarinaGarcia said...

Olá!
No meu caso foi devido ao facto de querer fazer o meu tipo de desenho em pintura. O melhor modo para transpôr o tipo de traço era mesmo utilizando a cana e isso implicava um formato maior pois teria que ter uma maior distância. Implica também uma melhor interacção entre a pessoa e o trabalho e muita gente pode usar isso como base para o projecto.
Eu não gosto muito de andar com rolos de telas de 2 metros de um lado para o outro e por isso tenho andado a reduzir o tamanho pois também acho desnecessário 2 m por 2m (fi-lo por conversas com professores que repetiram várias vezes q quanto maior melhor ficava), para além de ser complicado fazer a grade e mais tarde se quiser vender vai ser muito mais difícil. Mas como este já é o meu projecto desde o ano passado decidi continuá-lo.
Na faculdade também deve ter a ver com levar a experimentação ao máximo, quase toda a gente por lá insiste em fazer grande (muitas vezes assim tb se deve evitar o detalhe que no formato pequeno é mais evidente o que pode trazer dificuldades para algumas pessoas...).
A tinta a pingar cada um deve ver de acordo com o seu trabalho penso eu. Às vezes acontece e fica mais expressivo, deixar a aguada agir naturalmente sem a intervenção do pintor ficando assim menos controlável e expressivo.
Eu também não tenho assim tanta experiência em pintar pois demoro sempre muito tempo e por isso tenho sempre pouco trabalho mas as razões podem ser muitas consoante o trabalho.
cumprimentos,
Catarina

claras manhãs said...

Obrigado pela explicação.
Finalmente!!!!

beijinho

Pedro Almeida Design said...

Adorei estas telas, especialmente a ultima ainda inacabada!

Eu também gosto de pintar com a tinta a escorrer e o acrilico é muito bom para isso! Mas aprendi a pintar com óleo e a minha aprendizagem com acrilico é muito autodidata :P

Tinta-da-China é lixada, mas confere uma espontaneidade e no seu estado puro, é sem duvida bastante forte e ficou lindamente aí! Muitos parabens!

Adorei os Diários também ;)

Beijinho
Pedro

CatarinaGarcia said...

Olá Pedro, também gosto bastante de pintar com óleo. Comecei a pintar em acrílico devido ao desenho, como seca mais rápido é melhor para desenhar em tela, se bem que também podia aplicar secativo... Não sei, associo mais o óleo a misturar as cores mais facilmente enquanto estão na tela e é muito bom para pintar pessoas, espero voltar a essa técnica já para o novo ano :)
Eu acho a tinta-da-china o melhor que há para desenhar, é sem duvida o meu material preferido :D
Bj e obrigada,
Catarina