Wednesday, May 20, 2009

Diário Gráfico





Hoje fui a um workshop (mais uma série de conferências do que realmente um workshop) sobre ciência e arte na FCUL. Como não consigo estar muito tempo a ouvir sem rabiscar mostro aqui alguns dos desenhos que fiz das pessoas que estavam presentes.
Não penso tanto na composição nestas alturas nem em perfeccionismos, algo que faz com que o diário gráfico seja também alvo de inúmeras experiências.
Em baixo é já um detalhe de um esboço feito por fotografia, ao contrário dos desenhos em cima que foram com modelos, dá para ver que foi mais pensado apesar da fluidez que tento transmitir neste tipo de desenho.





Já agora, um aspecto engraçado dito pela minha antiga professora de anatomia numa das conferências a que assisti. 80 e tal por cento da população portuguesa tem a medida clássica entre o final do nariz e o fim do queixo maior do que o cânone clássico, utilizado regularmente para aprendizagem de desenho do rosto.
O rosto mediterrânico atinge as proporções clássicas (essa medida = medida do fim do nariz às sobrancelhas = sobrancelhas à raiz do cabelo) por volta dos 8, 10 anos de idade quando a dentição ainda não está completa.
O próprio ângulo do nariz, que é suposto pelo cânone ser o mesmo que o do princípio da orelha (definido com 20 graus nas proporções clássicas), é na população mediterrânica predominantemente de 30 e poucos graus. Pelos vistos atinge os 20 graus na população grega, o que explica o cânone!

9 comments:

JASG said...

Que satisfação!

É coincidência, mas já há algum tempo que imaginava como seria a combinação dos teus fabulosos esboços num diário gráfico e eis o resultado: muito bom.

Gostaria de ver aqui mais vezes essa conjugação.

Abr.

CatarinaGarcia said...

É um incentivo a desenhar mais!
Obrigada!

Lidia Guedes said...

Interessante de saber:)
E os teus desenhos continuam fabulosos ;)

hfm said...

Gostei!

José Barreiros said...

Olá Catarina, vejo que continuas a fazer coisas giras. Apesar dos cannon, o desenho solto e espontâneo continua a ser, para mim, o que mostra os verdadeiros sentimentos do artista.
Bom trabalho

CatarinaGarcia said...

Obrigada Lídia, Helena e José.

José, também prefiro desenhos mais soltos e acho que ter noção que os cânones não são infalíveis é muito importante para não nos prendermos a eles. No entanto, é sempre bom saber quais são para percebermos mais facilmente quando erramos e não percebemos onde está o erro :)

Sara Simões said...

Dei com o trabalho deste escultor http://www.gavinworth.com/sculpture.html e lembrei-me dos teus desenhos de linha contínua. Um dia destes podias esperimentar uma coisa assim.
Beijinhos

Sara Simões said...

ups. lá se foi o X

ana said...

Parabéns pelos teus desenhos. Este último, das mãos é delicioso! muito bem :)