Monday, July 15, 2013

Painting III / Pintura III


Acrylic on canvas / Acrylico sobre tela



I always use images as a reference to my work. In this specific one I only used the one bellow.

***

Uso sempre imagens de referência para o meu trabalho. Nesta usei a que está abaixo.



When I was a child I remember that I drew in expectation to feel an aesthetic feeling in the end. The first time it happened was when I painted the corridor wall with my crayons (I ran crazy to tell my parents but they didn't even look at the drawing, they just yelled at me).
I'm painting/drawing now in expectation of that aesthetic pleasure. I never know if what I do is good or not; art or not; but if I feel that pleasure, I know that at least it means something to me, may it be art or not (however I try to educate myself a lot about art in expectation to get this feeling improved to some sort of "good taste", but I'll never know - so I just follow my instinct).

* * *

Quando era criança desenhava à espera de sentir o momento do prazer final, quando chega àquela altura que se olha para o que fizemos e gostamos simplesmente de olhar...
Faço estas coisas agora à espera dessa sensação de prazer que acontece no final. Nunca sei se é bom ou não, se é arte ou não, mas se sentir esse prazer, ao menos sei que significa algo para mim; seja isso arte ou não (no entanto, tento educar-me o máximo possível sobre arte para ter este sentimento mais sensível a algo considerado bom, mas nunca vou saber - por isso vou pelo instinto).

9 comments:

Luis Filipe Gomes said...

Há sempre uma insegurança mesmo nos mais consagrados. Penso que a Paula Rêgo é um exemplo disso. Outros há que não verbalizam mas que procuram no nosso olhar a aprovação.
Pode ser incapacitante artísticamente essa busca de aprovação. Julgo saber do que falo.
Por outro lado como acto de humildade permite a descoberta de experiências novas.
A criação artística deve porém libertar-se dessa necessidade interna de afago, basta já a aprovação técnica no sentido oficinal de algum trabalho que foi encomendado ou está para vender.
O consolo final de que falas é bom mas não dura muito como julgo que sabes, nem era bom que durásse.
Melhor é tempo depois perguntar "Mas quem fez isto?

Catarina Garcia said...
This comment has been removed by the author.
Catarina Garcia said...
This comment has been removed by the author.
Luis Filipe Gomes said...

A "necessidade interna de afago" é não ousar, não desagradar aos outros e ficar contente consigo.
A "humildade" é estar disponível para recomeçar; olhar de novo e reformular a questão; reafirmar a comunicação.
Mas é necessário saber quem é o interlocutor e até se é necessário que ele exista.

Presentemente na minha prática gosto de me inspirar nessa atitude desprendida que as mulheres indianas têm ao executarem o Rangoli.

Black Smith said...
This comment has been removed by a blog administrator.
Catarina Garcia said...
This comment has been removed by the author.
Catarina Garcia said...
This comment has been removed by the author.
Maria Kelvin said...
This comment has been removed by a blog administrator.
Sophie Dicaprio said...
This comment has been removed by a blog administrator.